TRATAMENTO ODONTOLÓGICO EM TEMPOS DE COVID-19

29/05/2020 110

Nos últimos 3 meses o Brasil e o mundo está passando por um momento único que nunca tínhamos passado nos tempos modernos. A pandemia de covid-19 tem alterado nossa rotina e nossas atitudes no dia-a-dia de uma forma brutal e que será tendência a partir deste momento. E no tratamento odontológico tivemos alguma alteração?

A resposta é sim. A odontologia assim como todas as outras áreas passará por profundas alterações após a pandemia de Covid-19. E as mudanças começaram já no início da doença no Brasil. A primeira alteração que alterou significativamente o tratamento odontológico é a própria dinâmica da doença. Como o coronavírus tem sua transmissão pela saliva, os dentistas e seus pacientes são profundamente afetados. Pesquisa mostra que o Cirurgião Dentista é o profissional com maior risco para a contaminação pelo Coronavírus, por este motivo o CRO/SP Conselho de Odontologia de São Paulo determinou que os atendimentos Odontológicos devam ser feitos apenas em casos de Urgência e Emergência e dentro do maior padrão de biossegurança possível para o profissional e o paciente.

SAIBA COMO FUNCIONAM OS TESTES PARA CORONAVÍRUS.

Portanto, atualmente os tratamentos odontológicos estão limitados para a resolução de quadros de dor, traumas, infecções e alterações estéticas importantes. Mas quais são as principais urgências e emergências na Odontologia?

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) esclarece quais são as situações que configuram atendimentos de emergência e de urgência.

Emergências são situações que expõem o paciente a potencial risco de morte. Por exemplo:

Sangramentos não controlados.
Infecções bacterianas (Abscesso), com aumento de volume (edema) de localização intra-oral ou extra-oral, e potencial risco de comprometimento da via aérea dos pacientes.
Traumatismo envolvendo os ossos da face.

Urgências odontológicas são situações que determinam prioridade para o atendimento, mas não configuram potencial risco de morte ao paciente. Por exemplo:

Dor de dente.
Inflamação e dor envolvendo os terceiros molares (Dente do Siso)
Dor após tratamento odontológico.
Abscessos (dente ou boca).
Fratura de dente, resultando em dor ou machucado na boca.
Trauma dental com perda ou fratura do dente.
Tratamento odontológico necessário prévio à procedimento médico crítico.
Cimentação ou fixação de coroas ou próteses fixas se a restauração provisória ou definitiva estiver solta, perdida, quebrada ou estiver causando dor e/ou inflamação gengival.
Cáries extensas ou restaurações com problemas que estejam causando dor.
Ajuste ou reparo de próteses removíveis que estejam causando dor ou com a função mastigatória comprometida.
Problemas na ATM: travamento aberto, travamento fechado súbito e dor de início recente.

Caso o paciente realmente necessite de algum tratamento odontológico o dentista e o paciente devem seguir as medidas preventivas citadas abaixo para prevenir a contaminação do ambiente odontológico, bem como do profissional e do paciente:

●      Uso de máscaras cirúrgicas ou N95.

●      Utilizar avental descartável, luvas e óculos de proteção. O uso dos equipamentos de proteção individual (EPI) deve ser priorizado.

●      Lavar frequentemente as mãos, principalmente antes e depois do atendimento.

●      Agendar previamente o atendimento.

●      Manter distanciamento social. Comparecer na consulta sozinho e próximo ao horário agendado.

●      Evitar cumprimentos como beijos ou aperto de mão.

●      Evitar comparecer ao consultório se estiver apresentando qualquer sinal e sintoma de gripe ou Covid.

Portanto, como em todas as áreas, a odontologia e o tratamento odontológico esta passando por muitas mudanças e possivelmente será profundamente alterado com o passar deste momento.  

 

 

Dr. Marcelo Saizaki - CRO 99642  e  Dra. Renata Saizaki CRO 76918

    Cirurgia Buco Maxilo Facial e Implantodontia.

      SAIZAKI ODONTOLOGIA AQUARIUS SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

   CONTATO (12) 99114-8420   

 

 

 

Tags: Odontologia;